Notícias

Produção de alimentos de forma sustentável é um dos focos da Irriger

Com o aumento da população mundial e a crescente demanda por alimentos, a agricultura irrigada é tida como base para atender as necessidades de produção

A agricultura irrigada brasileira passou por uma profunda evolução nos últimos 15 anos, saltando de 1,5 milhão de hectares irrigados na década de 80 para os 5,8 milhões de hectares atuais. Além do notável crescimento, a tecnologia presente nos sistemas de irrigação proporcionou maior eficiência no uso da água, energia e mão de obra no setor.

A Irriger tem papel fundamental neste contexto, principalmente considerando que atende hoje mais de 1,6 milhão de hectares com a maior tecnologia disponível no ramo do gerenciamento e engenharia da irrigação. Além de organizar e possibilitar o uso eficiente da água, a empresa se coloca em um dos maiores desafios do agronegócio atual: a produção de alimentos de forma sustentável. 

Dados da Organização das Nações Unidas para a Agricultura e Alimentação (FAO, do inglês Food and Agriculture Organization of the United Nations) afirmam que, até 2050, a população do planeta poderá chegar a nove bilhões de habitantes, reafirmando a necessidade de se ampliar a produção de alimentos em até 70%. Deste valor, 90% deve partir do aumento da produtividade, enquanto os 10% restantes virão do aumento da área plantada. Os números confirmam que a demanda mundial de alimentos não vai parar de crescer, colocando a expansão da agricultura irrigada como base para que estas necessidades sejam atendidas.

De acordo com o sócio e consultor da Irriger, Everardo Mantovani, é possível produzir alimentos de forma sustentável dentro de parâmetros técnicos de máxima produtividade e eficiência do uso da água, além de níveis adequados de irrigação nas diversas culturas, regiões, disponibilidade hídrica e do ponto de vista econômico.

Ele destacou ainda os projetos e sistemas de gestão desenvolvidos pela empresa que colocam em evidência os sistemas de irrigação mais eficientes, tanto do ponto de vista da utilização da água e energia, como do ponto de vista operacional, como é o caso do pivô central de alta tecnologia.

“Podemos continuar o trabalho da Irriger em prol da melhoria do uso eficiente da água no Brasil e no mundo e contribuir de forma significativa para a produção sustentável de alimentos, fibras e agroenergia”, finaliza Mantovani.